Avaliação Interna

Dando cumprimento à Lei n.º 31/2002, de 20 de dezembro, foi desenvolvido o processo de avaliação interna/autoavaliação no Agrupamento de Escolas Miguel Torga.

O Agrupamento de Escolas Miguel Torga, Bragança, (AEMT) levantou o desafio de se apropriar um sistema de avaliação interna que se quer contínuo, cíclico e participado, e em que acredita sustentar a melhoria da qualidade do serviço.

O alargamento da rede do AEMT, do pré-escolar ao ensino secundário, proporcionou a necessidade de uma partilha de práticas de diversa ordem, incluindo a autoavaliativa, assim como definir um modus operandis em que as diferentes partes, agora juntas, se reconhecessem.

 

De modo a evitar premissas no estudo sobre si próprio, o AEMT optou por aplicar inicialmente o modelo CAF Educação, o qual respondeu às necessidades de autoavaliação, mas careceu de orientação no desenvolviemnto de plano de melhorias. Por isso, candidatou-se ao Projeto de Avaliação em Rede – PAR – e procura cruzar estes modelos de autoavaliação.

 

O modelo de avaliação CAF Educação – reconhecido, sistemático e sustentável, conforme solicitado por Lei – está previsto para a avaliação das instituições da Administração Pública, aplicando métodos qualitativos e quantitativos, assim como instrumentos disponibilizados. Consiste na avaliação das evidências dos meios desenvolvidos e dos resultados obtidos pela instituição escolar, em consideração com um quadro de excelência. Quanto ao Programa de Apoio à Autoavaliação, este defende uma autoavaliação principalmente qualitativa, todavia emprega métodos quantitativos, uma vez que a definição de quadros de referência por área a avaliar se suplanta na verificação de dados quantitativos.

 

Da aplicação destes modelos de avaliação visa-se uma maior partilha entre os diferentes membros da comunidade, assim como envolvimento, consequente responsabilidade, e também a melhoria da qualidade do serviço prestado, mas também uma visão cada vez mais definida de quem somos e queremos ser. 

Instrumentos de avaliação

- Monitorização através da análise SWOT

- Questionários de grau de satisfação: 

   alunos de 3.º e 4.º anos

   alunos do 5.º ao 12.º anos

   encarregados de educação

   docentes e não docentes

- Grelhas de avaliação do modelo CAF: 

   critérios de meios      

   critérios de resultados

- Quadros de referência do modelo PAR